O BLOG do Apólogo

mais sobre mim

os mais recentes

Rir a bandeiras despregad...

...

Grécia - A coisa mais fas...

Governo da Grécia anuncia...

Jardins-de-infância "inac...

O novo fenómeno Papa Fran...

Jardim e os testículos do...

Ania Thiemann e os Alemãe...

Coligação treme. Portas c...

OCDE agrava recessão prev...

O Orçamento mais estúpido...

Corte de 5% no subsídio p...

Maioria PSD/CDS-PP aprova...

Salários em atraso dispar...

Cessar fogo na faixa de G...

Execução orçamental - As ...

Quando o solução para os ...

Empresas alemãs “congelam...

Há muito mais pobres do q...

Uma bela confusão!!! Ante...

Casa Pia não acaba e a ve...

Hamas e Israel .. E conti...

Câmara de Lisboa baixa im...

Manifestação em frente ao...

A China e a mudança de po...

Veneza inundada

Austeridade , Austeridade...

Turismo e nostalgia do co...

Novos dirigentes do Estad...

Cada um tem o que merece

guardados

tags

todas as tags

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2005

Porquê agora ?

 


Depois de anos de pressões, sobre ele próprio, porquê que o vereador do Urbanismo do Porto, Paulo Morais, acusa, só agora, várias autarquias do país de cederem a pressões imobiliárias ?

Porquê que, segundo ele, vários responsáveis de  Câmaras Municipais não são sérios nestas situações, mas ELE e a Câmara do Porto são e sempre o foram, pelo menos neste mandato ?

 

In Visão

 de 25 de Agosto de 2005

Paulo Morais afirma que «o urbanismo é, na maioria das câmaras, a forma mais encapotada e sub-reptícia de transferir bens públicos para a mão de privados».

«Nas mais diversas câmaras do País há projectos imobiliários que só podem ter sido aprovados por corruptos ou atrasados mentais», declara Paulo Morais na entrevista, sem no entanto especificar a que projectos e municípios se refere.

Porquê só fazer estas acusações, tão graves, agora ?

In Visão de 25 de Agosto de 2005

O vereador acrescenta que «as estruturas corporativas são hoje muito mais fortes porque têm uma aparente legitimidade democrática. Se os vereadores do Urbanismo são os coveiros da democracia, os partidos são as casas mortuárias».

E, antes, não era assim ? Há um anos, há dois anos ? Só descobriu agora ?

In Visão de 25 de Agosto de 2005


O autarca social-democrata diz a Câmara do Porto é uma excepção ao cenário negro que traça, afirmando que o executivo autárquico liderado pelo social-democrata Rui Rio, nunca licenciou projectos que estivessem contra os instrumentos de planeamento.

Só a Autarquia do Porto é um oásis de rectidão, no meio da podridão !

Porquê que não acusa ninguém concretamente, antes acusando, com essa atitude, todos os outros, menos ele próprio e os amigos ?

Finalmente, outra pergunta: porquê que este vereador tão recto, tão excepcional, não faz parte da nova lista do PSD candidata à Câmara Municipal do Porto ?



publicado por apólogo às 20:19

link do post | comentar | favorito

pesquisar

 

Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


subscrever feeds