O BLOG do Apólogo

mais sobre mim

os mais recentes

Rir a bandeiras despregad...

...

Grécia - A coisa mais fas...

Governo da Grécia anuncia...

Jardins-de-infância "inac...

O novo fenómeno Papa Fran...

Jardim e os testículos do...

Ania Thiemann e os Alemãe...

Coligação treme. Portas c...

OCDE agrava recessão prev...

O Orçamento mais estúpido...

Corte de 5% no subsídio p...

Maioria PSD/CDS-PP aprova...

Salários em atraso dispar...

Cessar fogo na faixa de G...

Execução orçamental - As ...

Quando o solução para os ...

Empresas alemãs “congelam...

Há muito mais pobres do q...

Uma bela confusão!!! Ante...

Casa Pia não acaba e a ve...

Hamas e Israel .. E conti...

Câmara de Lisboa baixa im...

Manifestação em frente ao...

A China e a mudança de po...

Veneza inundada

Austeridade , Austeridade...

Turismo e nostalgia do co...

Novos dirigentes do Estad...

Cada um tem o que merece

guardados

tags

todas as tags

Sexta-feira, 6 de Maio de 2005

George Bush, Tony Blair e Durão Barroso




Ao contrário do que muitas más-línguas vaticinavam, manifestando mais as suas orações do que inteligência na análise, os dirigentes que deram a cara pela guerra do Iraque não perderam as eleições seguintes, nos seus países, antes conseguindo ganhar novos mandatos, em condições superiores ou equivalentes.


A excepção foi Aznar que, por razões também excepcionais e por accção directa do próprio terrorismo internacional, perdeu as eleições para o Zapatero cuja primeira medida foi, covardemente, retirar as tropas do Iraque como que pedindo: por favor não ponham mais bombas em Espanha. Apesar disso sai prestigiado, sendo uma referência a nível Europeu, pela forma acertiva como governou, desenvolvendo a economia Espanhola e permitindo um período de grande desenvolvimento no País.


George Bush foi reeleito com uma maioria clara, o que não acontecera no primeiro mandato, reforçando a sua posição, provando que passa a mensagem e que lhe dão razão.


Durão Barroso, tão acusado , foi eleito Presidente da Comissão Europeia, na Europa que se opôs à Guerra ! Tendo ( ainda ) o Chirac a meter-lhe minas no caminho com aquela arrogância francesa muito própria do "quem não é por mim é contra mim".


Tony Blair, o trabalhista, o de esquerda, ganhou de forma inédita no Reino Unido, um terceiro mandato com maioria absoluta. Mesmo o facto de ter perdido deputados não desvaloriza o inédito feito: ao fim do desgaste de dois mandatos de governação e de todas as acusações sobre a guerra do Iraque ( foi um dos principais temas da campanha ), consegue ganhar as eleições para um novo mandato e com maioria absoluta.


É caso para dizer : as boas guerras compensam !


Qual será a inteligente análise - e introspecção ? - a estes assuntos dos alguns nossos fervorosos pensadores, como Mário Soares e Francisco Louçã, só para citar os mais activos e, parece, os mais senis no pensamento !


Boa nota


publicado por apólogo às 09:39

link do post | favorito

De Anónimo a 6 de Maio de 2005 às 23:28
Obrigado pelo comentário

...o_teco
(http://apologo.blogs.sapo.pt)
(mailto:o_teco@sapo.pt)


Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar

 

Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


subscrever feeds